Biomarcadores e testes diagnósticos para doenças infectocontagiosas e crônicas não transmissíveis

Linha de pesquisa

Testes para diagnóstico de doenças de interesse nacional – laboratorial e point of care

Desenvolvimento de novos produtos, novas tecnologias, e novas aplicações para produtos já existentes, visando uso para diagnóstico de doenças de interesse nacional no Sistema Único de Saúde (SUS), tanto em laboratórios com boa infraestrutura quanto em situações com pouco ou nenhum apoio.

PCR em Tempo Real quantitativo (qPCR) é uma tecnologia amplamente testada e aprovada no mercado de testes diagnósticos para detecção específica de alvos moleculares de importância clínica (DNA ou RNA), devido à sua grande versatilidade e maior eficiência em relação aos tradicionais ensaios imunoenzimáticos (ELISA). Por estar disponível há muitos anos, existem hoje diferentes versões de kits comerciais com variações nas formulações e nos equipamentos usados para detecção das moléculas alvo, o que dificulta sua implementação no sistema público de saúde brasileiro. Por outro lado, é comum não existir infraestrutura suficiente para a instalação e manutenção de equipamentos tradicionais de qPCR, além de existirem poucos profissionais capacitados para operá-los. Nesse sentido, equipamentos portáteis de diagnóstico de base molecular podem ser de grande auxílio para o manejo de doenças negligenciadas em situações de baixa densidade tecnológica, como as encontradas nos pontos de atendimento (“point of care”).

Assim, esta linha de pesquisa tem por objetivo desenvolver novos testes diagnósticos para uso em plataformas comuns em laboratórios de diagnóstico (Laboratórios Centrais, Laboratórios de Referência, por exemplo) ou plataformas portáteis baseadas na tecnologia PCR Tempo Real, usando reagentes produzidos no Brasil pelo Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), para atender as demandas do Sistema Único de Saúde (SUS) em relação ao diagnóstico de doenças de interesse nacional, como por exemplo doença de Chagas, malária, tracoma, tuberculose, hanseníase, zika, dengue, chikungunya, febre amarela,coqueluche, dentre outras. 

Projetos e pesquisador responsável

    • Pesquisa e desenvolvimento de novas soluções para o diagnóstico e o tratamento de doenças negligenciadas no Brasil.
    • Dispositivo Nanoestruturado para Detecção de Microcistina-LR.
    • Plataformas de desenvolvimento e produção para demandas diagnósticas estratégicas em vigilância epidemiológica .
    • Plataforma tecnológica para diagnóstico para doenças tropicais no ponto de atendimento (PodiTrodi).

 

    • Desenvolvimento de teste molecular em plataforma lab-on-a-chip para diagnóstico dos principais agentes causadores de sepse.
    • Avaliação clínica de um método molecular para a detecção rápida de patógenos em pacientes com sepse.
    • Uso do sistema CRISPR/Cas9 como ferramenta para o diagnóstico rápido de agentes infecciosos diretamente do sangue de pacientes com sepse.
    • Desenvolvimento de uma solução para detecção e monitoramento de contaminação bacteriana em concentrados de plaquetas.
    • Desenvolvimento de testes rápidos baseados em imunocromatografia de fluxo lateral.

 

Linha de pesquisa

Biomarcadores em câncer

O câncer é uma doença complexa e multifatorial, cujo estudo foi facilitado pela organização de seis características principais (hallmarks) no ano de 2000 por Hanahan e Weinberg: auto-suficiência em sinais de crescimento, insensibilidade a sinais de inibição de crescimento, evasão da morte celular programada, potencial ilimitado de replicação, angiogênese sustentada, capacidade de invadir tecidos e criar metástases. Foram somadas duas outras características na década seguinte: reprogramação do metabolismo energético e resposta imune evasiva. Também foram adicionadas duas características facilitadoras, instabilidade genômica e inflamação. A difícil tarefa de compreender o câncer levou a essas tentativas de simplificação da doença, mas à medida que as novas descobertas científicas adicionam novas camadas de complexidade ao que conhecemos sobre o câncer, há constante necessidade de renovação e revisão destas características.


A compreensão das moléculas que participam das alterações associadas ao desenvolvimento do câncer constitui a base para a descoberta de biomarcadores que podem ser usados para detecção mais precoce do câncer e para a identificação de possíveis alvos em busca de terapias mais específicas e eficazes. O estudo das moléculas e das vias de sinalização das células tumorais é útil para a predição e acompanhamento da resposta clínica e para prever a possibilidade de recorrência de tumores. Além disso, inquéritos de epidemiologia molecular também são importantes ferramenta em pesquisas na área de Câncer.


A equipe de Biologia Molecular do Câncer conduz projetos de pesquisa básica e translacional com potencial para gerar testes de diagnóstico e de acompanhamento de tratamento que tenham aplicação prática na Oncologia Clínica.

Projetos e pesquisador responsável

    • Estudo de alterações genéticas e microRNA plasmáticos em pacientes com câncer de pâncreas no Brasil.
    • Análise de lócus de susceptibilidade ao câncer de pâncreas no âmbito de DNA germinativo e somático.
    • Análise das Principais Translocações de Impacto Clínico em Leucemias e Buscas de Novos biomarcadores.
    • Desenvolvimento de testes moleculares para detecção e quantificação de translocações em pacientes com leucemia.
  • Hematopoese Clonal em pacientes com tumores primários de próstata.
  • Inflamação e estresse oxidativo na regulação de fatores genéticos em mielofibrose primária.