Confirmando seu protagonismo nas pesquisas sobre zika vírus no país, a chefe do Laboratório de Virologia Molecular do Instituto Carlos Chagas, Cláudia Nunes Duarte dos Santos, palestrou como convidada nesta sexta-feira, 12 de fevereiro, na The Rockefeller University, em Nova York, Estados Unidos.

Com o tema “Zika Vírus nas Américas: Situação atual e direções futuras”, a pesquisadora falou para uma plateia lotada e atenta, trazendo o histórico da entrada do vírus no país e na região das Américas e os impactos de sua disseminação. Além de apresentar as pesquisas de ponta coordenadas por ela no ICC, Cláudia reforçou a mobilização dos pesquisadores da Fiocruz na busca do maior entendimento sobre o vírus e soluções para o enfrentamento da epidemia.

Considerada uma das revistas científicas mais importantes, com fator de impacto 9.673, a Nature Protocols traz, em sua edição de janeiro de 2016, um artigo assinado por membros do Laboratório de Proteômica e Engenharia de Proteínas do Instituto Carlos Chagas (ICC/ Fiocruz Paraná). O trabalho descreve um ambiente computacional que viabiliza a análise de dados proteômicos. A proteômica é uma tecnologia que permite a identificação e quantificação de proteínas presentes em amostras biológicas complexas como, por exemplo, biópsias ou fluídos biológicos, que incluem sangue e saliva. Esses conhecimentos são fundamentais para o entendimento de doenças, para auxiliar no desenvolvimento por tratamentos mais eficazes – abrangendo o desenvolvimento de novos fármacos – e para o avanço nos diagnósticos.

O ambiente computacional que vem sendo desenvolvido no ICC é coordenado pelo pesquisador Paulo Costa Carvalho. “O ambiente, que chamamos de PatternLab for Proteomics (PL), passa continuamente por atualizações e inclusões de novos módulos com funções inéditas no campo. Atualmente, são oferecidos 15 módulos”, destaca o pesquisador.

Resultado de estudo pode significar avanços no conhecimento sobre os mecanismos de infecção de células humanas pelo vírus e delinear estratégias para bloquear sua chegada as células do embrião Desenvolvido no Instituto Carlos Chagas (ICC/Fiocruz Paraná) em parceria com a equipe da PUC PR, um estudo que confirmou a transmissão inter-placentária do zika vírus após a análise da amostra da placenta de uma gestante da região Nordeste, que apresentou sintomas compatíveis de infecção pelo vírus e que sofreu um aborto retido – quando o feto deixa de se desenvolver dentro do útero – no primeiro trimestre de gravidez. O trabalho realizado pelo Laboratório de Virologia Molecular do ICC/ Fiocruz Paraná, um dos laboratórios sentinelas do Ministério da Saúde para o tema, também levantou uma hipótese importante para explicar a dinâmica de transmissão do vírus de mãe para feto.

A edição de número 33 da Revista de Manguinhos destaca os resultados da pesquisa desenvolvida pelo Instituto Reputation, que revelaram a Fiocruz como detentora de uma reputação de forte a excelente em todos os públicos analisados. Uma reportagem conta em detalhes como foi feita a pesquisa, quais os públicos entrevistados e as categorias analisadas, mostrando que o trabalho desenvolvido por esta instituição centenária é reconhecido pela população.

Outubro de 2015 ficará marcado pelo avanço e a consolidação da pesquisa científica em prol da saúde pública na Região Sul. O Instituto Carlos Chagas (ICC/ Fiocruz Paraná) inaugurou oficialmente a reforma e ampliação de suas instalações, localizadas no Parque Tecnológico da Saúde (Tecpar), em Curitiba.

TOP